Rede de ensino teve 13% de aumento em levantamento que mostra a qualidade de ensino no país; índice passou de 4,5 para 5,1 pontos entre 2007 e 2009

Uma importante conquista na Educação foi alcançada em Betim. Segundo o Ministério da Educação (MEC), o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) de 2009 nas escolas municipais cresceu 13% se comparado ao biênio anterior, que compreende os anos de 2006 e 2007. Nos anos iniciais do ensino fundamental (4 série, o Ideb subiu de 4,5 para 5,1 pontos em 2009. Este é o maior índice alcançado pela cidade desde que o Ideb foi criado, em 2005. Outra boa notícia para o município é que, segundo o próprio Ministério, Betim superou a meta prevista para 2009, que era de 4,9, e já se aproximou da projeção de 2011, de 5,3 pontos. Os dados foram divulgados na última quinta-feira, 1º, pelo MEC e pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

Medido a cada dois anos nos anos iniciais e finais do Ensino Fundamental, o Ideb varia em uma escala de 0 a 10 e sintetiza dois conceitos igualmente importantes para a qualidade da educação: a taxa de rendimento escolar (aprovação) e as médias de desempenho dos estudantes em língua portuguesa e matemática em exames aplicados pelo Inep.

Os índices de aprovação são obtidos a partir do Censo Escolar, realizado anualmente pelo Instituto.  As médias de desempenho utilizadas são as da Prova Brasil (para Idebs de escolas e municípios) e do Sistema de Avaliação da Educação Básica – Saeb (no caso dos Idebs dos Estados e do país).

META
Brasil
. Conforme o MEC, a meta é que o país, a partir do alcance das projeções municipais e estaduais, tenha nota 6 em 2022, o que correspondente à qualidade do ensino em países desenvolvidos. Em 2005, amédia brasileira foi de 3,8. No biênio seguinte subiu para 4,2 e chegou a 4,6 no último levantamento, em 2009.

Investimento na rede

O bom desempenho de Betim no levantamento está relacionado, de acordo com o secretário de Educação, Carlos Roberto de Souza, aos investimentos feitos na educação betinense. Segundo ele, medidas, como a nomeação de profissionais aprovados no último concurso público, realizado em 2006, aqualificação permanente dos educadores e a construção e ampliação de unidades escolares são fundamentais para o sucesso alcançado.

Ainda conforme o secretário, a criação do programa de educação integral na rede de ensino também foi um facilitador. Souza acredita que o aumento da permanência dos estudantes nas escolas contribui para elevar a qualidade do ensino, além de garantir mais segurança aos estudantes. “Aumentar o tempo na escola melhora o desempenho dos alunos nos estudos. Nosso trabalho está baseado em melhorar a qualidade da educação pública em Betim”, destacou.

Para a diretora da Escola Municipal Margarida Soares Guimarães, na região central, Silvana Amaral, “o resultado positivo da cidade é fruto de um trabalho conjunto do Governo para melhorar a qualidade de ensino na rede. Existe um significativo esforço em prol da Educação em Betim”.

“O resultado positivo de Betim é fruto de um trabalho conjunto do Governo para melhorar a qualidade de ensino na cidade. Existe um significativo esforço em prol da Educação em Betim”
Silvana Barros Amaral, diretora da Escola Municipal Margarida Soares Guimarães, que obteve 6,4 pontos no Ideb de 2009

“O comportamento dos meus filhos melhorou significativamente depois do Escola da Gente. Hoje, eles aprendem mais, estão mais empolgados e comprometidos com as atividades escolares”
Ronny Rodrigues, 36, operador de empilhadeira, pai de dois alunos da E. M. Maria Helena Cunha Braz, no Icaivera

5,1 pontos
é a nota
de Betim no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), em 2009; o número é 13% maior do que em 2007

ESCOLA DA GENTE
Avanços
. O programa de educação integral da Prefeitura de Betim, lançado em junho de 2009, já alcançou a marca de 10 mil alunos sendo atendidos. Além do ensino regular, os estudantes participam de oficinas artísticas, esportivas e culturais e recebem acompanhamento pedagógico em português e matemática, além de três refeições diárias. Ao todo, são 10 horas de atendimento diário. Além de visar à melhoria da qualidade do ensino, o Escola da Gente busca a formação cidadã dos alunos e a prevenção à criminalidade. A meta da Prefeitura é expandir a iniciativa para toda a rede até 2012.